Como usar o FGTS em um plano de consórcio imobiliário

Como usar o FGTS em um plano de consórcio imobiliário - Ademilar

Importante ferramenta de proteção ao trabalhador em caso de desemprego, entre outras situações, o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) também auxilia na conquista do imóvel próprio. Em um plano de consórcio imobiliário, o saldo do benefício pode ser usado para compra e construção (desde que o consorciado já seja dono de um terreno).

Em um consórcio de imóveis, há a possibilidade de usar o saldo do Fundo para ofertar um lance, complementar o valor do crédito, pagar parte das prestações ou ainda amortizar ou liquidar o saldo devedor. De acordo com a ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios), em janeiro de 2018, 320 consorciados utilizaram total ou parcialmente seus saldos do FGTS, ultrapassando os R$ 13 milhões.

No primeiro caso (oferta de lance) é possível usar até 100% do FGTS, sendo necessário apresentar o extrato do benefício à administradora. Caso o consorciado deseje adquirir um imóvel de R$ 150 mil, mas seu crédito for de R$ 120 mil, ele pode utilizar R$ 30 mil da conta do benefício para complementar o valor.

O abatimento de prestações (até mesmo as em atraso, no máximo três) só pode ser feito após a contemplação. Com o valor debitado do FGTS é possível abater até 80% do valor total da parcela. A amortização ou liquidação do saldo devedor também acontece apenas depois que o consorciado tiver sido contemplado e adquirido seu único imóvel residencial urbano.

Para a utilização do benefício, em qualquer um destes casos, o consorciado deve respeitar algumas condições, tal como comprovar o tempo mínimo de 3 anos de trabalho sob o regime do FGTS. É exigido do trabalhador ainda que ele não seja proprietário de nenhum imóvel residencial financiado pelo SFH e que não tenha registrado em seu nome qualquer imóvel concluído ou em construção no atual município de residência e nem nos municípios vizinhos ou onde exerça sua ocupação, entre outras normas do Conselho Curador do FGTS.

Vale lembrar ainda que o valor máximo de avaliação do bem não pode exceder o limite de R$ 950 mil (Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro) ou de R$ 800 mil nos demais estados brasileiros.

Veja também: Consórcio imobiliário é solução para quem não consegue poupar

—————————————————————————————–

A Ademilar é especialista em consórcio de investimento imobiliário e, desde 1991, já atendeu mais de 40 mil clientes. Para comprar, construir, reformar, investir em imóveis, garantir o futuro dos filhos e fazer uma Aposentadoria Imobiliária Ademilar, contamos com uma equipe especializada.

Acesse o site ou agende uma visita! https://www.ademilar.com.br/

———

Sobre a Ademilar

A Ademilar é especialista e pioneira em consórcio de imóveis no Brasil, desde 1991 já atendeu mais de 50 mil clientes e comercializou mais de 10,5 bilhões em créditos. Se o seu objetivo é comprar, construir, reformar, investir em imóveis, garantir o futuro dos filhos ou fazer uma aposentadoria imobiliária, a Ademilar irá te ajudar a planejar o seu futuro e o de sua família!

Acesse o site e faça uma simulação www.ademilar.com.br

Conheça mais sobre consórcio

2 comentários em “Como usar o FGTS em um plano de consórcio imobiliário

  • FABIO EDUARDO FASCINA says:

    Prezado ademir, tenho um consórcio onde ofertei um lance atraves do fgts e quitei minhas parcelas. Tenho um terreno próprio e minha intenção é construir. Fiz todos os trâmites conforme a operado de consórcio é estou finalizando os trâmites com a CEF, mesmo com terreno em meu nome é o consórcio quitado através do FGTS, sou obrigado a fazer uma escritura pública em nome da operadora de consórcio?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *