Projeto do metrô vai valorizar imóveis em Curitiba

Projeto do metrô vai valorizar imóveis em Curitiba - Ademilar

A construção do metrô em Curitiba, que desde 2006 vem sendo discutida por setores da política e da sociedade civil, finalmente tem data para acontecer. Depois que o governo federal confirmou o investimento na obra, tudo deverá ficar pronto em 2016. Essa notícia, apesar de deixar muita gente preocupada com as mudanças na cidade, já vem mostrando bons resultados no setor imobiliário.

Projeto do metrô vai valorizar algumas regiões de Curitiba - Ademilar

Depois do início das obras, a expectativa é de que os valores dos terrenos e empreendimentos que ficam próximos aos trilhos aumentem. No começo do ano, época em que a ideia do metrô ainda estava no âmbito da especulação, os bairros que seriam cortados pela primeira fase da obra valorizaram 16%.

Projeto do metrô vai valorizar algumas regiões de Curitiba - Ademilar

Esses bairros são: CIC, Pinheirinho, Capão Raso, Novo Mundo, Portão, Vila Izabel, Água Verde, Batel, Centro e Rebouças. Em São Paulo, como efeito de comparação, os empreedimentos que ficam próximos à linha 4 do metrô, ou amarela, valorizaram 30% em 2010.

Veja também: Mercado imobiliário de Curitiba está aquecido!

Sobre a Ademilar

A Ademilar é especialista e pioneira em consórcio de imóveis no Brasil, desde 1991 já atendeu mais de 50 mil clientes e comercializou mais de 10,5 bilhões em créditos. Se o seu objetivo é comprar, construir, reformar, investir em imóveis, garantir o futuro dos filhos ou fazer uma aposentadoria imobiliária, a Ademilar irá te ajudar a planejar o seu futuro e o de sua família!

Acesse o site e faça uma simulação www.ademilar.com.br

Conheça mais sobre consórcio

Um comentário em “Projeto do metrô vai valorizar imóveis em Curitiba

  • Acredito que com a implantação do metrô o Setor Estrutural deveria ser alargado. Os setores ZR4 encostados aos setores estruturais atualmente em 6 pavimentos com compra vai p/ 8 pavimentos deveriam passar a ser 8 com compra vai p/ 10. Quanto ao recuo frontal desde que seja aumentado p/ 10 m o construtor se isenta da compra de potencial.
    Promover a implantação de uma segunda via rápida paralela às atuais e rever os parâmetros de ocupação nas canaletas do expresso.
    Acredito que desta maneira poderá ser mais bem utilizada toda a infraestrutura que a cidade possui ao longo das estruturais em termos de transporte, comercio e serviço.
    Atualmente o crescimento está se pulverizando nos bairros gerando uma ciranda de carros produto de grandes deslocamentos, provocando congestionamentos, poluição, stress, perda de tempo e queda na qualidade de vida.
    A ideia é retomar a proposta original de crescimento linear onde o trabalho ficaria perto da residência, justificando em definitiva os eixos estruturais ainda mais quando sabemos que o metrô será implantado justamente nas atuais canaletas do expresso. Mesmo o expresso poderá ser deslocado para as novas rápidas propostas.
    O tema é muito complexo e merece uma analise mais aprofundada, até mesmo a questão da atual impermeabilização do setor que inviabiliza qualquer iniciativa de reflorestamento das estruturais ao interior dos lotes e calçadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *