Conhecendo Curitiba: Bairro Portão

Conhecendo Curitiba: Bairro Portão - Ademilar

São mais de 40 mil habitantes no bairro Portão, em uma área com 5,69 km de extensão. O nome do bairro surgiu quando lavradores e tropeiros conflitavam pelos campos de criação e acabaram determinando caminhos. Para evitar que alguns lugares fossem invadidos surgiam cercas e portões para proteção.

leia+

Água Verde: estádio, clube e shopping

No século XIX muitos bairros de Curitiba começaram a se intensificar com a chegada de imigrantes, a maioria alemães e italianos. Em meados de 1888, os italianos criaram a primeira igreja do bairro Água Verde, nome derivado das algas que formavam massas verdes e davam uma coloração característica à água doce da região.

Deixando a história um pouco de lado, o Água Verde é um dos cinco bairros mais nobres de Curitiba, e o destaque começa pelo Clube Curitibano, um dos mais importantes da cidade. Além de pontos importantes, o bairro mescla residências e edifícios de alto padrão com uma variedade de pontos comerciais, como lojas, restaurantes e hotéis entre as vias e avenidas de grande circulação.

Conheça alguns dos pontos mais importantes da região:

Estádio Arena da Baixada – Clube Atlético Paranaense:

agua-verde-estadio-clube-shopping

leia+

Conhecendo Curitiba – Bairro: Centro Cívico

Conhecendo Curitiba – Bairro: Centro Cívico - Ademilar

Graças ao arquiteto francês Alfred Agache, hoje em Curitiba (PR) existe um Centro do Cidadão, mais conhecido como Centro Cívico. O nome original surgiu nos anos 1940, quando Agache fez um Plano Urbano da cidade e propôs que fosse destinado um lugar específico apenas para que a população pudesse resolver assuntos relacionados à cidade. O objetivo foi atingido em 1953, ano em que o Paraná comemorou o centenário da emancipação política.

leia+

Santa Felicidade, a tradição italiana em Curitiba

Santa Felicidade, a tradição italiana em Curitiba - Ademilar

Santa Felicidade, bairro localizado a 7 km do centro de Curitiba, é sinônimo de tradição. O local, formado por núcleos de imigrantes italianos, dedicava-se à produção de vinhos, queijos e hortigranjeiros no início do século XIX. Hoje, mantém uma tradição fortíssima na área da gastronomia com restaurantes que deixam todos os curitibanos encantados.

leia+

Centro, local com o metro quadrado mais caro da cidade

Centro, local com o metro quadrado mais caro da cidade - Ademilar

O centro de Curitiba, que compreende também o São Francisco, o Rebouças e o Centro Cívico, apesar do trânsito pesado, do movimento  constante de pessoas e do ar de cidade grande, é um dos locais mais almejados para se morar. Isso porque os empreendimentos na região, que ultimamente têm ganhado estilos mais modernos, oferecem diversas comodidades ao ocupante, como redes wi-fi, serviços pay-per-use, lavanderia e outros.

Centro, local com o metro quadrado mais caro da cidade - Ademilar

Demanda

Entre 2010 e os primeiros 10 meses de 2011, 4.181 novas construções residenciais foram levantadas no centro da cidade. Esse número é 280% maior do que o registrado entre 2003 e 2009 – 785. Grande diferença, não? A participação da região central na construção de novos empreedimentos subiu de 4% para 15% neste ano.

Centro, local com o metro quadrado mais caro da cidade - Ademilar

As construções do centro de Curitiba têm como foco o público jovem, casais sem filhos e pessoas idosas que moram em casas grandes, mas querem mudar para um local menor. Hoje, o metro quadrado do centro (R$ 5.093) é 7% superior ao cobrado em outras regiões da cidade (R$  4.744).

Centro, local com o metro quadrado mais caro da cidade - Ademilar

Vale a pena morar no centro?

Vale muito a pena. Além de imóveis bem cotados que tendem a valorizar mais ainda, o morador do centro tem tudo ao seu redor – comércio, bancos, shoppings, áreas de lazer, ônibus e serviços públicos. Para quem tem dinheiro em caixa e deseja fazer um pouco mais, comprar empreendimentos na região é um ótimo investimento, que com certeza trará retorno.

Veja também: Curitiba, de cidadezinha a grande metrópole