Notícias

04Set2008

Consórcio de Imóveis também pode ser usado para construção

 

 

Regras de utilização dos créditos nesses casos são um pouco diferentes das usadas em compras de imóveis novos ou usados

 

            Nem todo mundo sabe, mas o consórcio de imóveis também pode ser usado para reformas e construção. Para estes fins, os valores contemplados vão sendo liberados conforme o cronograma físico-financeiro da obra. Basta um pouco de planejamento para se beneficiar do sistema, que não tem juros.

            A diretora superintendente da Ademilar Consórcio de Imóveis, Tatiana Reichmann, explica que, para fins legais, a obra é acompanhada pelo consórcio, para verificar a execução das etapas programadas e conseqüente liberação de valores para as fases restantes. Se o valor do crédito for menor que o da obra, o comprador pode complementá-lo com recursos próprios ou mesmo adquirir outra cota, aguardando a contemplação para finalizar o projeto.

            Conforme as regras do Banco Central, em caso de construção, 10% do valor do crédito contemplado fica retido com a administradora do consórcio até a averbação da obra (o tradicional Habite-se). Após a apresentação do documento, o consorciado recebe o resíduo para executar detalhes finais ou quitar outras despesas decorrentes da obra.   

            Se for preciso comprar o terreno para a construção, também é possível usar o consórcio. Nesses casos, o crédito do valor do terreno é liberado de uma só vez. Depois, para a obra, as regras são as mesmas descritas acima.

            No caso de reformas, as regras são mais simples. O próprio imóvel funciona como garantia do pagamento e o dinheiro é liberado de uma só vez. Apenas o valor do imóvel a ser reformado deve ser maior do que o valor a ser utilizado na reforma.

 

Indique para seus amigos